Aromaterapia na redução de níveis de estresse e ansiedade

Eficácia da aromaterapia na redução de níveis de estresse e ansiedade em alunos de graduação da área da saúde: estudo preliminar

O estudo teve como objetivo verificar a eficácia de aromaterapia na diminuição de níveis de estresse e ansiedade (traço e estado) de alunos de graduação de cursos na área da saúde. Participaram do estudo 36 sujeitos, com idade entre 18 e 29 anos, que foram divididos entre os que receberam tratamento (grupo aroma, n=18) e o grupo controle (n=18). Os sujeitos foram avaliados quanto a níveis de estresse e ansiedade antes e após o período de intervenção, pela Lista de Sintomas de Estresse e pelo Inventário de Ansiedade Traço e Estado.

O tratamento de aromaterapia consistiu em sete sessões (duas vezes por semana) de dez minutos de inalação com uma sinergia de óleos essenciais elaborada especificamente. No tratamento aromaterapêutico para estresse e ansiedade são indicados os seguintes óleos essenciais: Lavanda francesa (Lavandula officinalis), Laranja amarga (Citrus aurantium var. amara), Ylang-Ylang (Cananga odorata) e Cedro Atlas (Cedrus atlantica).

A sinergia elaborada para o estudo consistiu em 10% Laranja amarga, 50% Lavanda francesa, 20% Ylang-Ylang e 20% Cedro Altas. A sinergia foi preparada de uma única vez, para assegurar homogeneidade no tratamento. Foram respeitadas as diretrizes de formação de sinergia aromaterapêutica e os limites de segurança orientados pelo Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa em Aromaterapia e pela Abraroma – Associação Brasileira de Aromaterapia e Aromacologia.

Os escores de estresse e ansiedade antes e depois do tratamento foram comparados estatisticamente, com nível de significância de 5% (p<0,05). O grupo aroma apresentou redução significativa dos níveis de estresse (de 24%) e ansiedade (de 13% e 19%, p<0,05), enquanto no grupo controle houve uma diminuição significante, embora menor (de 11%), apenas no nível de estresse.

O estudo concluiu que a aromaterapia mostrou-se eficaz na redução dos níveis de estresse e ansiedade em estudantes da área da saúde. No entanto, ainda são necessários mais estudos para identificar as causas dos níveis medidos e, também, os mecanismos de ação dos óleos essenciais em sua redução.

Fonte: https://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/12164/13941

Compartilhe este artigo

Escrever um comentário

error: Atenção: Conteúdo protegido!