O que são Ácidos Graxos Essenciais e porque eles são importantes para nosso organismo?

Também conhecidos como vitaminas lipídicas ou vitamina F, não são sintetizadas pelo organismo sendo necessário repô-los por meio de dieta alimentar. Os ácidos graxos essenciais fazem parte dos lipídios ou gorduras, apresentam o grupamento carboxila (COOH). Suas cadeias são alifáticas, isto é, abertas.
Considerados componentes orgânicos por conterem carbono e hidrogênio em suas moléculas. Produzidos quando as gorduras são quebradas. Quase insolúveis em água, quanto maior a cadeia carbônica, menor será a  solubilidade desses ácidos em água. Pertencem a dois grupos: ácidos graxos saturados e ácidos graxos insaturados.
Porque eles são importantes para nosso organismo?
Porque podem ser usados como energia pelas células de nosso organismo. Muitos óleos de origem vegetal são ricos em ácidos graxos insaturados. Contém compostos como ácido linoleico (ômega 6), ácido linolênico (ômega 3) e ácido oleico (ômega 9) que possuem ação antioxidante e reconstituinte das membranas celulares.
Atuam também como agentes coagulantes, ajudando a manter a elasticidade da pele e combater seu envelhecimento precoce. Os ácidos graxos insaturados são substâncias essenciais ao organismo, por serem precursoras de hormônios e neurotransmissores envolvidos no crescimento, na regulação de funções sexuais e nervosas.
Na Aromaterapia não se utiliza os óleos minerais pois estes, apesar de ajudarem a retenção hídrica da pele, dificultam sua respiração, fecham os poros da epiderme, fazendo-a acumular gordura e impedindo a absorção de nutrientes para o interior do organismo. Da mesma forma, impedem a absorção de Óleos Essenciais, vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K). Por sua vez, os Óleos Vegetais são absorvidos pela pele.
 
Óleos Vegetais ou Óleos Carreadores
Os Óleos Vegetais são usados para diluir os Óleos Essenciais antes da sua aplicação na pele. Chamados também de Óleos Carreadores, possibilitam que os Óleos Essenciais sejam absorvidos pela pele e a partir daí, através da corrente sanguínea circulem por todo o organismo.
Geralmente os Óleos Vegetais são prensados a frio a partir das partes gordurosas das plantas. Ao contrário dos Óleos Essenciais, que evaporam e possuem aromas concentrados, os Óleos Vegetais não evaporam e não contêm aromas tão fortes.
Óleos e manteigas vegetais são ricos em emolientes, substâncias que mantêm a suavidade, a maciez e a flexibilidade da pele, protegendo-a também contra a secura e a perda da umidade dérmica.
O processo de extração é fundamental para garantir suas propriedades e características. Muitos óleos comercializados no varejo são prensados a altas temperaturas, o que faz com que as moléculas se desagreguem, saturando-se e perdendo seu efeito terapêutico.
Os Óleos Vegetais possuem alto potencial de rancidificação. Adicionando algumas gotas de óleo de germe de trigo ou de jojoba, que são ricos em Vitamina E, tem-se ação antioxidante ajudando a manter as características originais por mais tempo.
Os Óleos Vegetais e manteigas vegetais mais utilizados são: abacate, barú, gergelim, semente de uva, germe de trigo, macadâmia, jojoba, rosa mosqueta, amêndoa doce, girassol, oliva, prímula, soja, manteiga de cupuaçu, de karité e de cacau, entre outros.
Como funcionam os Óleos Vegetais
Os Óleos Vegetais penetram facilmente na pele, nutrindo, protegendo e reconstituindo a camada córnea. Dão brilho à pele deixando-a fina e flexível, graças à sua ação amaciante, flexibilizante, tonificante e regeneradora. Previnem o envelhecimento precoce protegendo a pele contra a secura e a perda de umidade.
Dificilmente provocarão alguma reação alérgica pois apresentam total compatibilidade com as membranas das células. Os Óleos Vegetais apresentam vitaminas, lecitinas, minerais e ácidos graxos insaturados.
Muitos Óleos Essenciais não podem ser usados puros sobre a pele por apresentarem dermoagressividade. Para que possam ser usados com segurança, devem ser diluídos em Óleos Vegetal. Quando se adiciona Óleo Essencial aos Óleos Essenciais, estes também serão absorvidos pela pele, atingindo a corrente sanguínea e produzindo efeitos terapêuticos como relaxamento, cicatrização, etc.
Referências:
1. Faucon M. Traité D’Aromathérapie Scientifique et Medicale Les Huiles Essentielles. (3 ed.). Paris: Éditions Sang de la Terra; 2017.
Compartilhe este artigo

Escrever um comentário