Alecrim do Cerrado orgânico 5ml

R$89,00

Em estoque

Óleo essencial da RESILIÊNCIA

Nome cientifico: Baccharis dracunculifolia DC.
Origem do OE: Brasil
Obtenção: destilação a vapor da planta
Coleção: Terra Flor Orgânico 5ml
Certificação: IBD Orgânico e SISORG-MAPA
Selos IBD Orgânico e SISORG Orgânico do Brasil

O Óleo Essencial de Alecrim do Cerrado Orgânico Terra Flor vem de um arbusto nativo brasileiro, ramificado e melífero, matéria prima para as abelhas produzirem o própolis verde. Esse óleo essencial é altamente perfumado com aroma adocicado que lembra o mel. Ao inalarmos esse aroma poderemos acalmar a dor de cabeça, como também descongestionar as vias respiratórias, principalmente de crianças e idosos. Além disso, tem ação ansiolítica, é estimulante da autoconfiança, agilidade mental e concentração.

Faça o seu Login para liberar o download
dos arquivos de cromatografia e/ou laudo técnico de análise.

Alecrim do Cerrado – Baccharis dracunculifolia

Selos IBD Orgânico e SISORG Orgânico do Brasil

Família: Asteraceae.
Sinônimos populares: alecrim-do-campo, vassoura ou vassourinha.
Origem da planta: América do Sul.
Parte da planta utilizada: folhas e flores.
Forma de extração: destilação a vapor da planta.

O Alecrim do Cerrado também é chamado em algumas regiões do Brasil de Alecrim do Campo, Vassoura ou Vassourinha. É uma espécie arbustiva, ramificada e perene que pode chegar a três metros de altura. Planta nativa da América do Sul, no Brasil, ocorre nas regiões sul, sudeste e centro oeste, principalmente nas áreas de Cerrado, em pastagens abandonadas, terrenos degradados e áreas em processo de sucessão. Foi por muito tempo considerada uma planta invasora de pastagens e erradicada em função disto. Uma música da cultura popular brasileira ilustra seu nascimento espontâneo nos campos: alecrim, alecrim dourado, que nasceu no campo sem ser semeado, foi meu amor, que disse assim: que a flor do campo é o alecrim.

Ramos de Alecrim do Cerrado eram coletados para serem usados em vassouras. Daí o nome vassourinha.

Essa espécie de Baccharis é melífera. O aroma adocicado exalado por suas flores branca e amarelas atraem as abelhas, que polinizam suas flores. Da resina encontrada nas folhas e flores do Alecrim do Cerrado as abelhas fabricam um tipo de própolis, chamado própolis verde. 

Arbusto lenhoso, com aproximadamente 3m de altura, perene, dioica, apresenta galhos bastante ramificados, com folhas e flores aromáticas. As flores são muito pequenas e densamente agregadas, chamadas de florescências capitulares. As masculinas são de coloração amarelo-claro, enquanto as flores femininas são brancas.

Suas folhas apresentam tricomas tectores e glandulares que atuam como barreira contra o ataque de predadores que tentam alimentar-se de seus tecidos vegetais, como também auxiliam na interação com as abelhas para a coleta de material resinoso que será transformado na própolis verde, considerado a melhor própolis do mundo.

De acordo com Bastos 2001, a Baccharis dracunculifolia produz óleos essenciais com aroma forte e exótico, e as abelhas, por possuírem antenas com alta capacidade olfatória, visitam os ápices foliares e coletam o material resinoso para a fabricação da própolis verde, não quando a plantas está em floração, mas sim durante seu crescimento, período responsável pela produção de metabólitos secundários nos vegetais, importante para a interação com insetos e predadores.

A resina, repleta de fragmentos epidérmicos e tricomas glandulares, é carregada para a colmeia e utilizada na elaboração de própolis denominada “verde”, devido à sua coloração botânica, pois as abelhas carregam tecidos jovens contendo clorofila. As folhas jovens contêm pelos secretórios com óleos voláteis e aromáticos que conferem o aroma da própolis verde. A própolis nem sempre tem a mesma coloração variando do amarelo claro ao vermelho escuro, dependendo da origem botânica e da época do ano.

A palavra própolis é um termo genérico utilizado para determinar o material resinoso e balsâmico coletado e processado pelas abelhas a partir de diversas partes das plantas, como brotos, ramos, cascas, de árvores, exsudados resinosos, e botões florais. Após a coleta, esse material é transportado até a colmeia, onde as abelhas adicionam cera e secreções glandulares. As abelhas utilizam a própolis para a manutenção de suas colmeias, para selar aberturas, controlando variações de temperatura, principalmente no inverno, para embalsamar os invasores, evitando sua decomposição, e para manter um ambiente asséptico no interior da colmeia, protegendo-a contra vírus e bactérias.

A matéria prima da própolis é composta por 50% de resina 30% de cera de abelha, 10% de óleos essenciais, 5% de pólen e 5% de outras substâncias variadas.

O OE de Alecrim do Cerrado da Terra Flor, conforme cromatografia fornecida pelo fabricante, é constituído por: 20,50% de nerolidol, 11,77% de δ-cadineno, 7,26% de biciclogermacreno, 4,73% de viridifloreno, 7,82% de β-copaeno, 4,78% de γ-muuroleno, 9,59 % de β-cariofileno, entre outros componentes.

Aromacologia

Óleo Essencial da Resiliência

O alecrim do Cerrado é uma planta que nasce espontaneamente e estabelece a ordem sucessória de recuperação do solo em terrenos degradados, superando os obstáculos de um solo não fértil, desgastado e pobre em nutrientes.

É neste terreno insólito, que ela escolhe como seu habitat natural, que demonstra toda sua resiliência e capacidade contra todo tipo de adversidade. Brota, cresce e floresce transbordando coragem e determinação.

A semente da Baccharis encontra força para germinar, produzir flores e folhas extremamente perfumadas e capazes de atrair as abelhas para produzir uma substância poderosa para cuidar dos muitos problemas de saúde que enfrentarmos.

Aroma que ajuda a superar obstáculos, aporta a capacidade de nos recobrarmos dos desafios e adaptarmos facilmente diante de má sorte, mudanças.  Formas de uso: BCAFPHPSTL

OE que nos permite seguir em frente e superar momentos difíceis.  Formas de uso: BCAFPHPSTL

O componente molecular nerolidol, é um dos compostos da natureza com grande potencial de acalmar a mente e reduzir a ansiedade. Presente no famoso OE de Néroli, encontra-se em grande quantidade na constituição do alecrim do campo.  Formas de uso: BCAFPHPSTL

Cosmética

O óleo essencial é extraído por destilação a vapor. Durante a primeira hora da destilação são extraídos os componentes mais voláteis, os monoterpenos, e na segunda hora os mais densos, os sesquiterpenos. Sendo o álcool sesquiterpeno, nerolidol o componente majoritário, entre 20% e 33%, considerado o responsável pela característica odorífera intensa. Este álcool sesquiterpênico também é encontrado no OE de Néroli. Isso tornou o OE de Alecrim do Cerrado um ativo muito procurado pela indústria de fragrâncias e cosméticos.

Rico em álcoois sesquiterpênico, este OE é um excelente calmante dérmico, usado popularmente para acalmar dermatites, alergias, coceiras e eczemas. Formas de uso: T

Com propriedades regeneradoras cutâneas, auxilia também a reduzir manchas na pele e retardar o aparecimento de rugas, e adicionado a séruns mantém o aspecto jovem e brilhante da pele. Formas de uso: M

Usos tradicionais

A Baccharis dracunculifolia é uma planta tradicionalmente utilizada pela população para os cuidados em dificuldades hepáticas, processos inflamatórios e problemas microbianos (vírus e bactérias).

Matéria prima de onde as abelhas produzem a própolis verde, os constituintes químicos de seu OE possuem propriedades mucolíticas e antimicrobianas que auxiliam na recuperação das afecções do sistema respiratório.

Um estudo realizado com o OE de Baccharis dracunculifolia, demonstrou ação promissora deste OE no combate a replicação do poliovírus (PV), Enterovirus C., responsável pela poliomielite(2). A investigação do uso de substâncias naturais com ação antiviral tem atraído muito o interesse de pesquisadores. Todavia, ainda precisamos de mais dados para comprovação da ação deste OE.

Estudos sugerem que a atividade antiviral deste OE pode estar envolvida com os ácidos cafeicos e cinânicos encontrados em sua constituição química (2).

Pesquisas ainda apontam para ação imunomoduladora dos componentes do OE do Alecrim do Cerrado (2).

Estudos de extrato hidroalcoólico das partes aéreas de Baccharis dracunculifolia apresentaram expressiva ação anti-inflamatória, e redutora de edemas, através da formação de Prostaglandina E2, e óxido nítrico (NO), deixando a porta aberta para estudos no uso do OE para combater inflamações, comprovando desta forma o uso empírico deste óleo nos cuidados em edemas, dores e inflamações.

A atividade gastroprotetora atribuída popularmente as folhas do Alecrim do Cerrado foram comprovadas em estudos com extrato hidroalcoólico das partes aéreas (3).

As plantas consideradas medicinais têm sido usadas no combate a infecções causadas por microrganismos desde a antiguidade, estudos foram realizados com extratos hidroalcoólico de Baccharis dracunculifolia com resultados satisfatórios nos fungos Candida kruseicausador de micoses hospitalares, candidíase vaginal, Cryptococcus neofarmans- fungo oportunista que causa lesões em imunodeprimidos, Staphylococcus aureus– bactéria gram-positivas que causam de severas infecções cutâneas a pneumonias e infecções ósseas. Os compostos fenólicos presentes nos metabólitos secundários desta planta são os responsáveis pela ação antimicrobiana (3).

Também foi demonstrado a inibição de proliferação do Staphylococcus mutans- bactéria associada a cariogenicidade(3).

O extrato hidroalcoólico do Alecrim do Cerrado ainda apresentou atividades antiparasitárias muito promissoras no combate a malária, doença de chagas e leishmaniose (4).

Vishwa Schoppan
Bióloga, Ecóloga, Aromaterapeuta.

 

Referências:

  1. Spring, O. Chematoxonomy Based on Metabolites from Glandular Trichomes. Advances and Botanical Research, 2000.
  2. Sforcin, M.J. Baccharis dracunculifolia, Uma das principais fontes da própolis brasileira.Unesp-SP, 2012.
  3. Lemos, M. et al. Baccharis dracunculifolia, The MainBotanical Source of Brasiliam Green Porpolis, Display antiulcer Activity. Journal of Pharmacy and Pharmacology, v.59, p.603-8, 2007.
  4. Silva Filho et all. In Vitro Trypanocidal Activity Evaluation of Crude Extractand isolated Compounds from Baccharis dracunculifoliaD.C.(Asteraceae).Journal of Pharmacy and Pharmacology, v.56, p.1195-9, 2004a, 2009.
  5. 5. , K.C. Physicochemical characteristics of the essential oils of Baccharis dracunculifolia and Baccharis uncinella D.C. (Asteraceae). Revista brasileira de farmacognosia. https://www.scielo.br/j/rbfar/a/SFGtgr4gXwHZTMXDF4bg8NN/?lang=en. Acessado em 20 de junho de 2021.

Legenda das Formas de Uso:

OE = óleo essencial
OV = óleo vegetal
CS = colher de sopa

ADVERTÊNCIA: teste o OE sempre que estiver sendo usado pela primeira vez. Para isso, pingue 2 gotas de OE nas axilas, na parte interna do cotovelo e atrás da orelha. Espere por 12hs e observe. Caso apresente alguma reação alérgica, não recomendamos o uso deste OE. Realize este teste mesmo se o OE estiver diluído a um veículo carreador.

A quantidade de gotas de OE sugeridas dependerá da intensidade do aroma do OE escolhido. Alguns OE possuem aroma mais intenso, utilize quantidades menores. Use sempre diluições mínimas em crianças, idosos e gestantes.

BBanho de Imersão (banheira ou ofurô): Para aromatizar a água do banho, dissolva de 7 até 21 gotas de OE em 3 CS de leite de côco. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma. Dissolva a mistura na banheira ou ofurô. Nunca use OE diretamente na banheira sem diluição em veículo carreador.

CAColar Aromático: Pingue 3 gotas de OE no algodão e acomode-o no orifício do colar. Adicione mais gotas toda vez que o aroma acabar.

FPFricção Plantar: Pingue 3 gotas de OE diretamente na planta de cada pé e friccione. Para OE dermoagressivos friccione diretamente pé com pé, não utilize as mãos.

HHidratação:
- para o rosto dilua 1 gota de OE em 1 CS de OV;
- para o corpo pingue 60 gotas de OE em 120ml de OV, ou dilua o OE em qualquer outro veículo carreador (argila, creme, loção ou manteiga vegetal);
- para os cabelos pingue 5 gotas de OE em 1 CS de OV para hidratar a ponta dos fios.

MMassagem: Adicione de 50 a 70 gotas de OE em 120ml de OV e utilize-o na massagem.

PPerfume: Use algumas gotas de OE como perfume natural. Nunca use óleos essenciais cítricos diretamente na pele e exponha-se ao sol.

SSpray: Adicione 40 gotas de OE de sua preferência em uma solução de 60ml de álcool de cereais e 40ml de água deionizada. Use com um frasco spray.

TUso Tópico: Pingue 5 gotas de OE diluídas em 1 CS de OV de pracaxi, andiroba, rosa mosqueta ou outro OV indicado.

TLTravesseiros e Lençóis: Pingue 2 gotas de OE nos travesseiros e 4 nos lençóis. Não pingue OE dermoagressivos nos travesseiros.

Os comentários estão desativados.