Alecrim qt. verbenona 5ml

R$55,00

Em estoque

Óleo essencial do bom humor

Nome cientifico: Rosmarinus officinalis verbenoniferum
Origem: EUA
Obtenção: destilação a vapor dos ramos floridos
Coleção: Terra Flor Essencial 10ml
Certificação: IBD Ingredientes Naturais
Selo IBD - Ingredientes Naturais, para produtos sem aditivos.
Aroma herbal, fresco, o mais relaxante dos alecrins.
Harmonizador físico e nervoso, restaura e energia vital suavemente, equilibrando oscilações de humor das mudanças hormonais no período pré-menstrual e pré-menopausa.
Segundo Rudolf Steiner, pai da antroposofia, o alecrim auxilia a acalmar as angústias mentais e emocionais.
Utilizado em aromatização ambiental aporta estabilidade e tranquilidade ao ambiente, amenizando a raiva, a impaciência e a irritação.
Relaxa a mente afetada pelo desgaste energético causado pela fragilidade nervosa.
Auxilia a mulher na fase madura a aceitar os sinais da passagem do tempo com maturidade.
Apazigua o excesso de fogo do biotipo ayurveda Pitta.
Desaconselhável o uso durante a gestação.

Você também pode gostar de…

Alecrim qt verbenona – Rosmarinus officinalis verbenoniferum

Rosmarinus deriva do latim: ros = orvalho; marinus = marítimo – “orvalho do mar”.

O alecrim pertence a família Lamiaceae, é originário das regiões mediterrâneas, especialmente áreas rochosas, áridas e ensolaradas próximas ao mar. Hoje é amplamente cultivado em todas as regiões do planeta. De acordo com Panizza (1999), essa planta foi introduzida no Brasil pelos colonizadores, acompanhando os bandeirantes nas suas entradas e bandeiras (1).

Este óleo essencial possui quimiotipia, que é a diferença de concentração química que uma planta apresenta, dependendo da região onde é cultivada.
As diferenças dos componentes do solo, da temperatura, da incidência solar e da quantidade de água disponível possibilitam uma mesma espécie vegetal apresentar diferentes percentagens moleculares e como consequência propriedades terapêuticas e aromas diferenciados. Os três quimiotipos (qt.) mais importantes de alecrim no comércio de óleos essenciais são: Alecrim qt. cânfora: Rosmarinus officinalis var. camphoriferum; Alecrim qt. cineol: Rosmarinus officinalis var. cineoliferum; Alecrim qt. verbenona: Rosmarinus officinalis var. verbenoniferum.

Os maiores produtores atuais da quimiotipia alecrim verbenona são a Córsega e EUA.

A humanidade conhece essa planta há muito tempo, desde o século XIX, encontramos menções de seu uso na medicina, culinária e perfumaria.

Aromacologia

Óleo Essencial do bom humor
Equilibrador físico e nervoso restaura e energia vital, equilibra oscilações do humor devido a mudanças hormonais.
Equilibrador progesterônico, ameniza os estados depressivos, a fadiga nervosa e a angústia do plexo solar.
Desintoxica a energia do fígado, amenizando a impaciência e irritabilidade.
Este aroma suaviza o mal-estar e o mau-humor gerado pelas mudanças hormonais no período pré-menstrual e pré-menopausa.
Formas de uso: ABCAFLFVIMSTL

Cosmética

Tônico cutâneo, repara o ressecamento da pele madura. Formas de uso: H
Regenerador celular, suaviza os sinais do tempo facial em peles maduras. Formas de uso: H
Ameniza a falta de elasticidade em cicatrizes antigas e queloides (2). Formas de uso: T

Usos Tradicionais

Esta planta foi uma das primeiras a ser destilada e tem sido usado popularmente ao longo da história como:
Tônico de ação colérica e colagoga, estimula a desintoxicação da energia do fígado, coadjuvante em inalações para aliviar o cansaço advindo de hepatites virais.
Formas de uso: ABCCAFLIM
Digestivo, atenua dor de cabeça de origem hepática. Formas de uso: BCACI
Equilibrador progesterônico, coadjuvante no alívio de distúrbios hormonais de TPM e pré-menopausa. Formas de uso: BCAFPFVIV
Potencial anti-infeccioso, mucolítico e expectorante, alivia sintomas de tosse, otite, sinusite e bronquite. Formas de uso: CPEPIFVFPFPV

Segurança no Uso

Desaconselhável o uso durante a gestação.

Vishwa Schoppan
Bióloga, Ecóloga, Aromaterapeuta.

Referências:
1. Panizza S. Plantas que Curam. (19 ed.). São Paulo: Instituição Brasileira de Difusão Cultural LTDA; 1999.
2. Abdullah H, Farooq A, Shahzad A, Abdul J, Shahid M, Poonam SN. Rosmarinus officinalis essential oil: antiproliferative, antioxidant and antibacterial activities. Brazilian Journal of Microbiology.Vol.41 (4): São Paulo Oct./Dec. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-83822010000400027

Legenda das Formas de Uso:

OE = óleo essencial
OV = óleo vegetal
CS = colher de sopa

ADVERTÊNCIA: teste o OE sempre que estiver sendo usado pela primeira vez. Para isso, pingue 2 gotas de OE nas axilas, na parte interna do cotovelo e atrás da orelha. Espere por 12hs e observe. Caso apresente alguma reação alérgica, não recomendamos o uso deste OE. Realize este teste mesmo se o OE estiver diluído a um veículo carreador.

A quantidade de gotas de OE sugeridas dependerá da intensidade do aroma do OE escolhido. Alguns OE possuem aroma mais intenso, utilize quantidades menores. Use sempre diluições mínimas em crianças, idosos e gestantes.

AAromatização Ambiental: Pingue mais ou menos 12 gotas de OE na água do difusor ambiental. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma.

BBanho de Imersão (banheira ou ofurô): Para aromatizar a água do banho, dissolva de 7 até 21 gotas de OE em 3 CS de leite de côco. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma. Dissolva a mistura na banheira ou ofurô. Nunca use OE diretamente na banheira sem diluição em veículo carreador.

CCompressa local com água ou argila: Pingue de 5 até 10 gotas de OE em 1 CS de OV e dissolva na água fria ou quente. Use uma toalha para fazer a compressa. Na argila, pingue 3 gotas de OE para 1 CS de argila, adicione água ou água floral até formar uma pasta consistente. Use quantas CS de argila forem necessárias para formar uma pasta que cubra toda a área a receber a compressa.

CAColar Aromático: Pingue 3 gotas de OE no algodão e acomode-o no orifício do colar. Adicione mais gotas toda vez que o aroma acabar.

CPCompressa Peitoral: Dilua 3 gotas de OE em 1 CS de OV e massageie a região peitoral. Após a massagem, aplique uma compressa morna.

EPEscalda Pés: Dilua 15 gotas de OE ou sinergia em uma colher de OV e coloque numa balde ou ofurô de pés.

FLFricção Local: Dilua de 3 até 5 gotas de OE em 1 CS de OV e fricione a área afetada.

FPFricção Plantar: Pingue 3 gotas de OE diretamente na planta de cada pé e friccione. Para OE dermoagressivos friccione diretamente pé com pé, não utilze as mãos.

FVFricção Vertebral: Dilua 6 gotas de OE em 1 CS de OV e aplique na coluna vertebral friccionando a pele vigorosamente.

IInalação:
- no lenço, pingue 3 gotas de OE;
- no inalador própro para uso de OE, pingue 5 gotas;
- no pulso, pingue 2 gotas de OE e friccione com o pulso da outra mão.

MMassagem: Adicione de 50 a 70 gotas de OE em 120ml de OV e utilize-o na massagem.

SSpray: Adicione 40 gotas de OE de sua preferência em uma solução de 60ml de álcool de cereais e 40ml de água deionizada. Use com um frasco spray.

TUso Tópico: Pingue 5 gotas de OE diluídas em 1 CS de OV de pracaxi, andiroba, rosa mosqueta ou outro OV indicado.

TCUso Tópico Capilar: Após o enxague final dos cabelos, pingue 5 gotas de OE no couro cabeludo, massageando-o, ou pingue 5 gotas de OE no couro cabeludo, deixe agir por no máximo 8h e lave os cabelos.

VVaporização: Pingue de 8 a 15 gotas de OE em um recipiente com água quente, cubra a cabeça com uma toalha ou cobertor e inspire profundamente até a água esfriar.

Os comentários estão desativados.