Cravo folha 10ml

R$51,00

Em estoque

Óleo essencial da liberação energética

Nome científico: Eugenia caryophyllus
Origem: Indonésia
Obtenção: destilação a vapor das folhas
Coleção: Terra Flor Essencial 10ml
Certificação: IBD Ingredientes Naturais
Selo IBD - Ingredientes Naturais, para produtos sem aditivos.
Aroma pungente, quente, acre.
Ajuda a remover a energia velha do ambiente, é excitante e estimula a flexibilidade necessária para o desapego ao passado e a realização de novos projetos.
Popularmente reconhecido como auxiliar da saúde oral.
Útil no combate aos fungos, é muito usado na podologia, nos cuidados com micoses e unhas encravadas, unhas quebradiças, rachadas ou fracas.
Excelente para espantar traças de armários e gavetas.
Desaconselhável o uso durante a gestação.
Dermoagressivo, diluir em óleo vegetal. Se usado puro sobre a pele pode provocar ardência, vermelhidão ou irritação.
Não se deve exagerar no consumo do OE de cravo botão e folha.
Aconselha-se evitar o uso prolongado por pessoas com sensibilidade gástrica e hemofílicos.

 

Faça o seu Login para liberar o download
dos arquivos de cromatografia e/ou laudo técnico de análise.


Você também pode gostar de…

Cravo folha – Eugenia caryophyllus (Spreng.) Bullock & SGHarrison

Eugenia deriva do grego: Eu = bem, bom e Génos = raça, estirpe, junção da qual resulta o significado “bem-nascida”.
Santa Eugênia é a padroeira das parteiras. Diz-se das parteiras que elas permitem o nascimento de si mesmas, por isso este óleo essencial é conhecido por aportar confiança e apaziguamento.
A palavra caryophyllus tem origem grega e é composta por duas partes: karyon, que significa “noz” ou “semente”, e phyllon, que significa “folha”, e foi utilizada para descrever a flor do cravo, devido à sua semelhança com uma semente envolta por folhas.
É uma pequena árvore de porte piramidal que atinge entre 10 a 20m de altura.
Originária de Madagascar, Ilhas Reunião e Antilhas, atualmente a maior produção deste OE vem da Indonésia e África do sul.
O OE de cravo pode ser extraído dos botões secos, folhas e haste da planta.
O OE extraído de qualquer uma dessas estruturas vegetais é considerado popularmente antisséptico, analgésico e antibacteriano capaz de combater diferentes tipos de bactérias.
O componente em maior concentração no OE de cravo é o eugenol, seguindo o β-cariofileno, acetato de eugenila, α-humuleno e óxido de cariofileno. Esses componentes encontram-se em diferentes concentrações nas diferentes estruturas do vegetal.
A concentração dos componentes químicos ainda pode variar dependendo da origem geográfica do OE.
O botão do cravo faz parte da medicina ayurvédica desde 1500 a.C.
Segundo as tradições asiáticas, o OE de cravo botão promove bem-estar digestivo, alivia os desconfortos da náusea e diarreia.
Pesquisadores indianos apontam que o OE de cravo pode ser útil no alívio da dor de dente e mau hálito, além de contribuir para a saúde das gengivas, boca e garganta. O cravo e seus componentes também podem ser utilizados nos cuidados bucais em geral, sendo um dos óleos essenciais mais comumente usados na odontologia (4).

Aromacologia

Óleo Essencial da limpeza energética
Esse OE é um importante aroma na confecção de incensos na China e Japão para serem queimados evocando o afastamento de energias intrusas.
Remove a estagnação do ambiente que interfere nos estados psíquicos.
Auxilia a flexibilizar a mente apegada ao passado, ao que já não existe mais.
Seu aroma ativa e movimenta as energias, promovendo liberação e leveza.
Formas de uso: AFLS

Cosmética

Popularmente utilizado nos cuidados com verrugas, unha encravada, micose e fungo de unha e de pele Formas de uso: FLT
Seu aroma afasta sarna e carrapato. Formas de uso: A
Útil nos cuidados com unhas fracas e quebradiças. Formas de uso: T
Melhora a sensação de bem-estar e auxilia na eliminação de odores corporais desagradáveis. Formas de uso: CFLT

Usos Tradicionais

Tradicionalmente apreciados como antissépticos e analgésicos, tanto o OE de cravo botão quanto cravo folha são utilizados em todo o mundo, tendo sido constatado em experiências empíricas que o cravo folha é menos analgésico que o cravo botão.
Estudos apontam ação antibacteriana que contribui para a saúde bucal tanto no combate da placa bacteriana oral como também no combate às bactérias Escherichia coli, Salmonella enterica e Staphylococcus aureus (1). Devido a dermoagressividade, recomenda-se diluir o OE em óleo vegetal para realização do bochecho.
De acordo com a literatura, é útil no resgate do bem-estar e alívio de enjôos, náuseas e vômito (2). Formas de uso: A
Pesquisas afirmam que o óleo essencial de cravo tem uma ampla gama de potenciais antissépticos, anestésicos, analgésicos, antioxidantes, anti-inflamatórios e antimicrobianos (5), qualidades reconhecidas e utilizadas empiricamente. Formas de uso: ACFLMT
Referências sugerem que é prudente evitar o uso de OE de cravo em pessoas hemofílicas, ou que fazem uso de anticoagulantes, aspirinas, heparina ou warfarina, pois o eugenol, componente molecular majoritário do OE de cravo, é um inibidor da atividade plaquetária, diminuindo a coagulação sanguínea (3).

Desaconselhável o uso durante os três primeiros meses da gestação.
Dermoagressivo das mucosas.
Não se deve exagerar no consumo do OE de cravo botão e folha.
Aconselha-se evitar o uso prolongado por pessoas com sensibilidade gástrica.
Pode apresentar hepatotoxicidade no uso prolongado.
Deve-se evitar o uso em hemofílicos ou para pessoas que fazem uso de anticoagulantes, aspirinas, heparina ou warfarina.

Vishwa Schoppan
Bióloga, Ecóloga, Aromaterapeuta.

Referências:
1. Faucon M. Traité D’Aromathérapie Scientifique et Médicale Les Huiles Essentielles. Éditions Sang de la Terra, 2017.
2. Wren R.C. Potter’s New Cyclopaedia of Botanical Drugs and Preparations. London: Churchill Livingstone, 1988.
3. Tisserand R, Balacs T. Essential Oil Safety. A Guide for Health Care Professionals. Churchill Livingstone, 2006.
4. Singh, I. et al. Essential oils in treatment and management of dental diseases. Biointerf. Res. Appl. Chem, v. 12, p. 7267-7286, 2022.
5. Uddin, Md. A. et al. Study of chemical composition and medicinal properties of volatile oil from clove buds (Eugenia caryophyllus). International Journal of pharmaceutical sciences and research, v. 8, n. 2, p. 895, 2017.

Legenda das Formas de Uso:

OE = óleo essencial
OV = óleo vegetal
CS = colher de sopa

ADVERTÊNCIA: teste o OE sempre que estiver sendo usado pela primeira vez. Para isso, pingue 2 gotas de OE nas axilas, na parte interna do cotovelo e atrás da orelha. Espere por 12hs e observe. Caso apresente alguma reação alérgica, não recomendamos o uso deste OE. Realize este teste mesmo se o OE estiver diluído a um veículo carreador.

A quantidade de gotas de OE sugeridas dependerá da intensidade do aroma do OE escolhido. Alguns OE possuem aroma mais intenso, utilize quantidades menores. Use sempre diluições mínimas em crianças, idosos e gestantes.

AAromatização Ambiental: Pingue mais ou menos 12 gotas de OE na água do difusor ambiental. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma.

BBanho de Imersão (banheira ou ofurô): Para aromatizar a água do banho, dissolva de 7 até 21 gotas de OE em 3 CS de leite de côco. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma. Dissolva a mistura na banheira ou ofurô. Nunca use OE diretamente na banheira sem diluição em veículo carreador.

BABanho de Assento: Dilua 10 gotas de OE em 5 CS de leite de côco e adicione à água fria do banho de assento.

CCompressa local com água ou argila: Pingue de 5 até 10 gotas de OE em 1 CS de OV e dissolva na água fria ou quente. Use uma toalha para fazer a compressa. Na argila, pingue 3 gotas de OE para 1 CS de argila, adicione água ou água floral até formar uma pasta consistente. Use quantas CS de argila forem necessárias para formar uma pasta que cubra toda a área a receber a compressa.

CAColar Aromático: Pingue 3 gotas de OE no algodão e acomode-o no orifício do colar. Adicione mais gotas toda vez que o aroma acabar.

EPEscalda Pés: Dilua 15 gotas de OE ou sinergia em uma colher de OV e coloque numa balde ou ofurô de pés.

FLFricção Local: Dilua de 3 até 5 gotas de OE em 1 CS de OV e fricione a área afetada.

MMassagem: Adicione de 50 a 70 gotas de OE em 120ml de OV e utilize-o na massagem.

SSpray: Adicione 40 gotas de OE de sua preferência em uma solução de 60ml de álcool de cereais e 40ml de água deionizada. Use com um frasco spray.

TUso Tópico: Pingue 5 gotas de OE diluídas em 1 CS de OV de pracaxi, andiroba, rosa mosqueta ou outro OV indicado.