Hortelã Verde 10ml

R$64,00

Em estoque

Óleo essencial da autoestima

Nome cientifico: Mentha spicata
Origem: Índia
Obtenção: destilação a vapor das folhas
Coleção: Terra Flor Essencial
Certificação: IBD Ingredientes Naturais
Selo IBD - Ingredientes Naturais, para produtos sem aditivos.
Aroma herbal, fresco, mentolado e adocicado.
Favorece a abertura para expressar as emoções.
Traz segurança para assumir nossas singularidades.
Digestivo. Útil em casos de indigestão e parasitas intestinais.
Afrodisíaco masculino, tônico da próstata e ovários.
Apresenta efeitos antipruriginoso, pode ser usado para aliviar sintomas de coceira.
Ativa a circulação do couro cabeludo, diminuindo a queda dos cabelos.
Desaconselhável o uso durante a gestação.

Cromatografia Hortelã verde

Você também pode gostar de…

Hortelã Verde – Mentha spicata

Mentha deriva do grego Minthe, ninfa que segundo a mitologia foi seduzida por Plutão e foi transformada em uma planta devido a ira de Perséfone, a esposa ciumenta. A lenda conta que em um acesso de fúria Perséfone esmagou-a no chão. Plutão, inconformado, transformou-a em uma erva para que pudesse cheirá-la eternamente.
Também conhecida por Mentha spicata var. longifolia L. Longifolius deriva do latim “longi-(longus)” = longo, largo, de grande longitude; e folia deriva do latim “folium”= folhas largas.

Em países de língua portuguesa, as espécies deste gênero são popularmente conhecidas como hortelãs, embora o nome menta também seja por vezes utilizado.
Disseminaram-se pelo globo, sofrendo hibridizações naturais, mutações e variações, dando oportunidade do surgimento de numerosas espécies, acabando assim por dificultar a correta identificação das inúmeras variedades e espécies, mesmo por especialistas.
O gênero Mentha pertence a família botânica Lamiaceae, originário da América do Norte, Ásia e Europa mediterrânea.
As hortelãs ou mentas são plantas herbáceas vivazes, compreendendo numerosas espécies, das quais muitas são cultivadas em função de suas propriedades aromáticas, condimentares, ornamentais ou medicinais.
O gênero Mentha possui 18 espécies e diversos quimiotipos com diferenças inter e intra-específicas. Apesar da grande variabilidade fitoquímica, o maior interesse econômico na produção de óleo essencial das mentas deve-se à obtenção do constituinte mentol.
As mentas eram conhecidas e cultivadas da China ao Egito desde 2000 a.C.
Planta utilizada desde a antiguidade pelos egípcios, hebreus, gregos, medievais, romanos e americanos, com sua origem confundida com os mitos. Ela aparece em todas as listas de ervas da antiguidade: na Bíblia aparece como dízimo. Os árabes regavam as mesas de banquete com mentas antes das festas e limpavam o chão com a erva para estimular o apetite dos convidados (1).
Todas as mentas são hepáticas e favorecem a respiração metabólica da célula (2).

Resumo das quatro espécies mais importantes do gênero Mentha na aromaterapia (2):

OE de M. spicata Hortelã verde
Acalma a inquietude, anti-inflamatória, mucolítica, hepatodigestiva, cicatrizante, combate leucorréia.
Rico em: Hidrocarboneto monoterpênico: 20 a 25% limoneno
Álcool monoterpênico: 0,5 a 3% mentol
Cetona: 40 a 70% L-carvona
0,1 a 2% mentona

OE de M. citrata Hortelã limão, H. Levante, H. bergamota
Relaxante, combate a fadiga nervosa, antálgico, antiespamódico, acalma a inquietude afetiva.
Tônico sexual masculino.
Rico em: Álcool monoterpênico: 2 a 5% mentol
25 a 40% linalol
Cetona: 0,1 a 2% mentona
Ester: 40 a 57% acetato linalila

OE de M. piperitaHortelã pimenta
Tônico e estimulante, antálgico, regenerador hepático, colagogo, colérico, carminativo, antivomitivo, combate cefaléia.
Estimulante do trabalho de parto.
Rico em: Álcool monoterpênico: 40 e 50% de mentol
Cetona: 20 a 30% mentona
0,1 a 2% pulejona

OE de M. arvensisMenta brasileira
Tonico e estimulante, analgésico, descongestionante vascular, combate cefaléia.
Rico em: Álcool monoterpênico: 35 a 70% mentol
Cetona: 15 a 30% mentona
0,2 a 5% pulejona

Muitas espécies de mentas são hibridizadas a partir da Mentha aquatica L. selvagem.

A M. spicata L., é uma planta subglabra, forte e geralmente com cheiro adocicado, por vezes pungente, folhas lanceoladas regularmente serradas, superfície inferior com poucos pêlos simples, séssil, inflorescência em pontas ramificadas lilás, de cor rosa ou branco.

Dentre as espécies de mentas, esta espécie é a que apresenta menor concentração de mentol e mentona.

Aromacologia

Óleo Essencial da autoestima
O aroma estimulante, porém adocicado desta menta, desperta o potencial energético curativo da glândula timo permitindo a fusão da energia do plexo solar com o coração, acalmando e estabilizando as emoções.
Possibilita a expressão da vontade interior com amorosidade, traz vitalidade afetiva, estimulando a coragem de ser quem se é.
Auxilia a transpor a barreira do medo do julgamento dos outros.
Encoraja aqueles que sentem-se desencorajados de seguir seus sonhos por medo de críticas alheias.
Aporta estabilidade psíquica permitindo as pessoas se libertarem da necessidade da opinião dos outros.
Traz segurança para pessoas inseguras.
Encoraja o ouvir da voz interior, seguir a intuição e fazer as próprias escolhas, mesmo que sejam decisões difíceis e solitárias.
Recupera a vitalidade afetiva, após exposição emocional pública, ou excessos emocionais (3).
Formas de uso: ACAFPIPS

Cosmética

Tem sido usado ao longo da história na higiene bucal para o tratamento de inflamações na gengiva e clareamento dos dentes de fumantes. Formas de uso: BO
Hoje encontramos este OE adicionado a muitos dentifrícios.
Formas de uso: BO
Apresenta efeitos antipruriginoso, pode ser usado para aliviar sintomas de coceira. Formas de uso: T
Ativa a circulação do couro cabeludo, diminuindo a queda dos cabelos. Formas de uso: TC

Usos Tradicionais

De todas as mentas, a hortelã verde é a que menos resfria o corpo.
Harmoniza o SN, revitaliza o físico, amenizando tanto a fadiga nervosa como cansaço físico e mental. Formas de uso: ACAFPIPS
Na bibliografia encontramos referências de propriedades terapêuticas tais como colagogo e colérico, podendo ajudar em problemas digestivos como indigestão, flatulências, insuficiência biliar, vômito e parasitas intestinais (2). Formas de uso: ACAFLFPIMPS
Estimula o relaxamento da musculatura gástrica, aliviando soluços e náuseas. Formas de uso: ACAFLFPIMPS
Pode ainda amenizar enjôos em viagens terrestres, aéreas e marítimas. Formas de uso: CAI
Afrodisíaco masculino, combate a fraqueza sexual masculina (2). Formas de uso: ACAFPIPS
A bibliografia cita seu uso como anti-inflamatório, tônico glândular, tonifica ovários e próstata. Ameniza inflamação na próstata, ovários. Ainda usado na medicina popular em banhos de assento para tratar leucorréia (2). Formas de uso: BACAFPIM
Auxilia na redução da produção de leite e enrijecimento dos seios, podendo ser útil no período de desmame. Formas de uso: ACAT
Ameniza dor de cabeça e enxaqueca.Formas de uso: ACAFLFPIMPS

Segurança no Uso

Desaconselhável o uso durante a gestação.

Vishwa Schoppan
Bióloga, Ecóloga, Aromaterapeuta.

Referências:
1. Oka C, Roperto A. Hortelã. Herbário Aquiléia, 2007. Disponível em: http://www.cotianet.com.br/eco/herb/

2. Faucon M. Traité D’Aromathérapie Scientifique et Medicale Les Huiles Essentielles . (3 ed.). Paris: Éditions Sang de la Terra, 2017.

3. Worwood VA. Aromatherapy of the soul. (1 ed.). California, USA: New World Library, 1999.

Legenda das Formas de Uso:

OE = óleo essencial
OV = óleo vegetal
CS = colher de sopa

ADVERTÊNCIA: teste o OE sempre que estiver sendo usado pela primeira vez. Para isso, pingue 2 gotas de OE nas axilas, na parte interna do cotovelo e atrás da orelha. Espere por 12hs e observe. Caso apresente alguma reação alérgica, não recomendamos o uso deste OE. Realize este teste mesmo se o OE estiver diluído a um veículo carreador.

A quantidade de gotas de OE sugeridas dependerá da intensidade do aroma do OE escolhido. Alguns OE possuem aroma mais intenso, utilize quantidades menores. Use sempre diluições mínimas em crianças, idosos e gestantes.

AAromatização Ambiental: pingue mais ou menos 12 gotas de OE na água do difusor ambiental. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma.

BOBochecho: pingue 3 gotas de OE em um copo d’água, ou dilua em 3ml de OV. Não engolir.

CAColar Aromático: pingue 3 gotas de OE no algodão e acomode-o no orifício do colar. Adicione mais gotas toda vez que o aroma acabar.

FLFricção Local: dilua de 3 até 5 gotas de OE em 1 CS de OV e fricione a área afetada.

FPFricção Plantar: pingue 3 gotas de OE diretamente na planta de cada pé e friccione. Para OE dermoagressivos friccione diretamente pé com pé, não utilze as mãos.

IInalação: no lenço, pingue 3 gotas de OE; no inalador própro para uso de OE, pingue 5 gotas; no pulso, pingue 2 gotas de OE e friccione com o pulso da outra mão.

MMassagem: adicione de 50 a 70 gotas de OE em 120ml de OV e utilize-o na massagem.

PPerfume: use algumas gotas de OE como perfume natural. Nunca use óleos essenciais cítricos diretamente na pele e exponha-se ao sol.

SSpray: adicione 40 gotas de OE de sua preferência em uma solução de 60ml de álcool de cereais e 40ml de água deionizada. Use com um frasco spray.

TUso Tópico: pingue 5 gotas de OE diluídas em 1 CS de OV de pracaxi, andiroba, rosa mosqueta ou outro OV indicado.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.