Pimenta Preta 10ml

R$73,90

Em estoque

Óleo essencial da vitalidade

Nome cientifico: Piper nigrum
Origem: Índia
Obtenção: destilação a vapor
Coleção: Terra Flor Essencial
Certificação: IBD Ingredientes Naturais
Selo IBD - Ingredientes Naturais, para produtos sem aditivos.
Seu aroma quente fortalece a coragem e a ação. Ajuda em momentos de busca do novo e na quebra de condicionamentos.
Antidepressivo, afrodisíaco. Estimula a produção de endorfina
Analgésico, anti-inflamatório. Ameniza dor muscular e trauma ósseo.
Vasodilatador. Utilizado em massagens e drenagens linfáticas por ativar a circulação, ajudar a queimar calorias e eliminar toxinas.
Tônico da digestão. Fortifica o estômago, cessa a regurgitação.

Você também pode gostar de…

Pimenta preta – Piper nigrum

Família: Piperaceae.
Etimologia: o radical latim piper deriva do sânscrito pippali.
Sinônimos populares: pimenta do reino.
Origem: Floresta de Kerala, sul da Índia.
Parte da planta utilizada: frutos secos.
Forma de extração: destilação a vapor dos frutos secos.
Rendimento: 500kg de frutos/1kg OE (Erligmann, 2009).
Características da planta: a espécie Piper nigrum, do gênero Piper, é uma das mais conhecidas dentre as mais de 1000 espécies da família Piperaceae, devido ao seu valor comercial, econômico e a sua importância medicinal. A busca por essa especiaria, utilizada e valorizada desde tempos imemoriais, foi uma das principais causas da expansão e apogeu do império português. Nessa época, 60 kg de Piper nigrum L. chegou a valer 52 gramas de ouro (http://facimed.edu.br/site/revista/?onChange=Ler&ID=44).
Planta arbustiva trepadeira com forma colunar, tem certa semelhança com a videira, com folhas verde-escuras e ovais, flores brancas inseridas em espigas longas que ficam em pêndulos. Os frutos são redondos, verdes quando imaturos e vermelhos ao amadurecerem.
Cresce naturalmente cerca de 6 metros de altura, necessitando de um suporte. A pimenta preta fornece um OE mais aromático, apresentando maior rendimento do que a pimenta branca. Foi uma especiaria muito popular entre os romanos, usada para o pagamento de impostos.
Existem alguns tipos de pimenta preta com coloração variada, isso dependerá do momento da colheita e do tipo de beneficiamento, como mostrado a seguir:
Pimenta preta: deverá ser colhida quando estiver com a coloração verde-clara ou amarelada. Beneficiamento: secar ao sol. Esta é a pimenta preta utilizada para a extração de OE;
Pimenta vermelha: deverá ser colhida quando estiver com a coloração vermelha a ligeiramente púrpura. Beneficiamento: debulhada, imersa em salmoura por 24 horas, drenada, pasteurizada a 80º C, novamente imersa em salmoura por 72 horas para drenagem final;
Pimenta branca: deverá ser colhida quando estiver com a coloração amarelada ou vermelha. Beneficiamento: maceradas em água corrente, imersas em calcário e água durante 12 dias, então secas ao sol;
Pimenta verde: deverá ser colhida quando estiver com a coloração verde. Beneficiamento: debulhada, imersa em salmoura por 24 horas, drenada, pasteurizada a 80º C e novamente imersa em salmoura por 72 horas para drenagem final.

Aromacologia

Óleo Essencial da vitalidade
Seu aroma quente e picante revitaliza e promove energia de ação. Ameniza o medo, fortalece a coragem tão necessária para o movimento em direção ao novo, encorajando a mudança de padrões prejudiciais.
Traz força em momentos de adversidades, ajuda o posicionamento e otimiza a tomada de decisões.Promove a sensação de merecimento da vida.
Indicado para pessoas apreensivas e preocupadas que precisam de força para fazer transformações.

Usos Tradicionais

Propriedades terapêuticas e principais indicações:
OE muito utilizado na medicina ayurvédica. Tem sido amplamente usado na Índia para o tratamento de problemas urinários, pois apresenta excelente efeitos diuréticos, aumenta o fluxo da urina e estimula as funções renais.
Segundo Dr. Miller (2005), renome da medicina ayurvédica, este OE apresenta propriedades analgésica e anti-inflamatória, podendo ser usado para amenizar a dor muscular, fibromialgia, torcicolo, reumatismo e traumatismo ósseo.
Ainda de acordo com Dr. Miller este OE poderá ser de grande auxílio em dietas de emagrecimento. Seu uso externo poderá ajudar a eliminar a gordura localizada, pois favorece a queima de calorias. Deve ser usado onde houver excesso de frio e água. Indicado para o biotipo ayurvédico Kapha. Segundo Tisserant (1993), tonifica e estimula as glândulas digestivas, favorecendo a digestão, possui efeito fortificante sobre o estômago e é bom para cessar o vômito, auxiliando a eliminação de toxinas. Uma fricção abdominal com este OE pode ser uma boa opção após refeição gordurosa e pesada.
De acordo com Sellar (2002), este OE pode auxiliar na formação de novas células sanguíneas, sendo útil em caso de anemia. Ativa a circulação, aquece o corpo e as extremidades.
Pode apresentar ação benéfica como coadjuvante no tratamento de distúrbios cardiovasculares evitando a formação de coágulos de gordura no sangue e tromboses. Fortalece as artérias auxiliando a prevenção de aterosclerose. Usado na recuperação em casos de paralisia temporária de membros. Vasodilatador, ajuda a regularizar a pressão arterial.
Segundo Marguerie Maury, este OE combate a atonia muscular.
Estimula o metabolismo, trata hipotireoidismo.
Febrífugo, antálgico, combate a cefaléia, enxaqueca e a dor de dente.
Estimula a produção de endorfinas, antidepressivo, afrodisíaco, aumenta o apetite sexual.
Tonifica o couro cabeludo, estimulando o crescimento do cabelo, combate a calvície.
Usado para cabelos oleosos e com pontas ressecadas.
A piperina demonstrou toxidez aos mosquitos das espécies Cullex pipiens pallens, Aedes togoi e Aedes aegypti. (http://facimed.edu.br/site/revista/?onChange=Ler&ID=44).
Componentes moleculares:
Hidrocarboneto monoterpênico: 4% alfa e beta-pineno;
Hidrocarboneto sesquiterpênico: 90% beta-caryofileno, alfa-humuleno,
alfa-gaieno, beta-helemeno, beta-bisaboleno;
Álcool monoterpênico: terpineol-4, alfa-terpineol, linalol, trans-pinocarveol,
trans-carveol;
Cumarina: balsamiferona hidroxisuberosina.

Toxicidade: pode causar irritação em peles sensíveis.
Contraindicações: desaconselhável o uso em peles inflamadas e em situações onde o biotipo ayurvédico Pitta esteja muito agravado.
Formas de uso:
Alívio de dor de cabeça e dor muscular: aplique 3 gotas de OE de pimenta preta na base do occipital e nas têmporas e no local da dor muscular e friccione;
Aquecimento de extremidades frias: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta na planta dos pés e fricione-as;
Eliminação de líquidos e estímulo da circulação sanguínea: pingue 5 gotas de OE de pimenta preta, 4 gotas de OE de cipreste, 3 gotas de OE de grapefruit em um balde com água quente. Deixe seus pés repousarem dentro do balde por 15 minutos;
Diminuir a ansiedade por comida: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta e 2 gotas de OE de patchouli na palma das mãos e inale;
Formulação ayurvédica antálgica do Dr. Miller para acalmar dor muscular e articular: adicione 10 gotas de OE de pimenta preta, 10 gotas de OE de lavanda francesa, 5 gotas de OE de olíbano, 5 gotas de OE de bétula doce em 50ml de óleo de gergelim e faça massagem nas áreas afetadas;
Fraqueza geral e falta de apetite sexual: pingue 5 gotas de OE de pimenta preta na coluna vertebral e friccione;
Fricção vitalizante: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta na planta dos pés e friccione;
Indigestão, digestão lenta e gases: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta no abdôme. Massageie com movimentos suaves e circulares no sentido horário;
Óleo de massagem para aliviar dor muscular, articular e reumatismo: adicione 42 gotas de OE de pimenta preta, 20 gotas de OE de alecrim qt. cânfora, 8 gotas de OE de bétula doce a 120ml de OV de semente de uva e faça massagem nas áreas doloridas;
Promoção de ação para tomada de decisão: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta no colar aromático individual;
Tonificação do couro cabeludo para evitar a queda de cabelos, controlar a calvície e diminuir a oleosidade do couro cabeludo: pingue 2 gotas de OE de pimenta preta, 1 gotas de OE de sálvia sclarea, 1 gotas de OE de alecrim qt. cineol, 1gotas de OE de lavanda francesa e friccione o couro cabeludo. Espere no mínimo por 6 horas antes de lavar os cabelos.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.