Pimenta Preta 10ml

R$96,56

Sem estoque

Avise-me quando disponível

Óleo essencial da vitalidade

Nome científico: Piper nigrum
Origem: Índia
Obtenção: destilação a vapor
Coleção: Terra Flor Essencial 10ml
Certificação: IBD Ingredientes Naturais
Selo IBD - Ingredientes Naturais, para produtos sem aditivos.
Seu aroma quente fortalece a coragem e a ação.
Aroma que auxilia em momentos de busca do novo e na quebra de condicionamentos.
Favorece a alegria, bem-estar e disposição para a intimidade.
Coadjuvante no alívio de desconfortos musculares e articulares.
Pode ser adicionado a óleos de massagem para drenagem linfática, melhora da circulação e eliminação de toxinas.
Aroma aliado da digestão saudável, pode ser usado em massagens, compressas e fricções.

Faça o seu Login para liberar o download
dos arquivos de cromatografia e/ou laudo técnico de análise.

Você também pode gostar de…

Pimenta preta – Piper nigrum L.

A pimenta preta (Piper nigrum) é uma planta de largo uso popular, tradicionalmente utilizada na culinária. Também é chamada de pimenta-do-reino. Devido ao seu valor comercial, econômico e a sua importância medicinal, é a espécie mais conhecida do gênero Piper, da família Piperaceae, que abrange mais de 2000 espécies. Foi uma especiaria muito popular entre os romanos, usada para o pagamento de impostos. A busca por essa especiaria, utilizada e valorizada desde tempos imemoriais, foi uma das principais causas da expansão e apogeu de Portugal durante as grandes navegações. Nessa época, 60 kg de Piper nigrum L. chegou a valer 52 gramas de ouro.

Natural das florestas de Kerala, ao sul da Índia, é uma planta arbustiva trepadeira com forma colunar, tem certa semelhança com a videira, com folhas verde-escuras e ovais, flores brancas inseridas em espigas longas que ficam em pêndulos. Os frutos são redondos, verdes quando imaturos e vermelhos ao amadurecerem. Cresce naturalmente cerca de 6 metros de altura, necessitando de um suporte.
Na medicina popular, a pimenta preta tem sido tradicionalmente usada como um cuidado natural e complementar para aliviar tosse, resfriado, dificuldades respiratórias, dores, vermes e hemorroidas.

Seu óleo essencial é extraído a partir da destilação a vapor dos frutos secos. Estima-se que são necessários cerca de 500kg de frutos para se obter 1kg de óleo essencial (Erligmann, 2009). Quanto a sua composição, é rico em monoterpenos e sesquiterpenos, como o sabineno, 3-careno, D-limoneno, α-pineno, cariofileno, β-felandreno, α-felandreno, α-tujeno e β-bisaboleno, o que lhe confere potencial antioxidante, antimicrobiano, coadjuvante da circulação sanguínea, alívio de dores musculares e cicatrização de pele. Além disso, a piperina é uma molécula presente no óleo essencial que favorece o funcionamento cerebral e o aumento da absorção de nutrientes. De acordo com os estudos científicos, o óleo de pimenta preta pode favorecer a melhora da circulação, alívio muscular e suporte cognitivo (1).

Existem alguns tipos de pimenta preta com coloração variada, isso dependerá do momento da colheita e do tipo de beneficiamento. A pimenta preta fornece um óleo essencial mais aromático, apresentando maior rendimento do que a pimenta branca. Confira os diferentes estágios da pimenta preta.
Pimenta preta: deverá ser colhida quando estiver com a coloração verde-clara ou amarelada. Beneficiamento: secar ao sol. Esta é a pimenta preta utilizada para a extração de OE;
Pimenta vermelha: deverá ser colhida quando estiver com a coloração vermelha a ligeiramente púrpura. Beneficiamento: debulhada, imersa em salmoura por 24 horas, drenada, pasteurizada a 80º C, novamente imersa em salmoura por 72 horas para drenagem final;
Pimenta branca: deverá ser colhida quando estiver com a coloração amarelada ou vermelha. Beneficiamento: maceradas em água corrente, imersas em calcário e água durante 12 dias, então secas ao sol;
Pimenta verde: deverá ser colhida quando estiver com a coloração verde. Beneficiamento: debulhada, imersa em salmoura por 24 horas, drenada, pasteurizada a 80º C e novamente imersa em salmoura por 72 horas para drenagem final.

Componentes moleculares:
Hidrocarboneto monoterpênico: 4% alfa e beta-pineno;
Hidrocarboneto sesquiterpênico: 90% beta-caryofileno, alfa-humuleno,
alfa-gaieno, beta-helemeno, beta-bisaboleno;
Álcool monoterpênico: terpineol-4, alfa-terpineol, linalol, trans-pinocarveol,
trans-carveol;
Cumarina: balsamiferona hidroxisuberosina.

Aromacologia

Óleo Essencial da vitalidade
Aroma quente e picante que revitaliza e promove energia de ação.
Seu aroma ameniza o medo, fortalece a coragem tão necessária para o movimento em direção ao novo, encorajando a mudança de padrões prejudiciais.
Traz força em momentos de adversidades, ajuda no posicionamento e tomada de decisões.
Suas qualidades sutis promovem a sensação de merecimento da vida.
Ideal para pessoas apreensivas e preocupadas, que precisam de força para fazer transformações.
Formas de uso: ACAFLMT

Cosmética

Devido a sua composição, é um coadjuvante dos cuidados capilares.
Pode ser adicionado a shampoos e tônicos para cuidar do couro cabeludo, estimular o crescimento dos cabelos e combater a queda. Formas de uso: FLTUC
Usado em máscaras e cremes para cabelos oleosos e com pontas ressecadas. Formas de uso: FLTUC
Coadjuvante da circulação, pode ser adicionado a óleos de massagem para eliminar a gordura localizada, retenção de líquidos e celulite. Formas de uso: FLMT

Usos Tradicionais

Este óleo essencial é muito utilizado na medicina ayurvédica como um coadjuvante da saúde urinária, favorecendo o aumento do fluxo da urina e tonificando os rins.
Segundo o Dr. Miller (2005), renome da medicina ayurvédica, pode ser usado em óleos de massagem para amenizar desconfortos musculares e articulares. Formas de uso: CFLMT
Ideal para o biotipo ayurvédico Kapha, deve ser usado onde houver excesso de frio e água. Formas de uso: FLT
É um coadjuvante da digestão saudável, auxilia no bem-estar digestivo após as refeições. Formas de uso: CFLT
Devido aos seus potenciais, pode contribuir no alívio dos desconfortos, dores e tensões na cabeça e dentes. Formas de uso: FLMC
Estimulante, favorece o estado de bom humor, disposição, alegria e sensualidade, combatendo a falta de disposição para a intimidade. Formas de uso: ACCAFLMT

Recomendações especiais: desaconselhável o uso em peles inflamadas e em situações onde o biotipo ayurvédico Pitta esteja muito agravado.

Pode causar irritação em peles sensíveis. Recomenda-se diluir suavemente em óleo vegetal antes de aplicar na pele.

Sugestões de uso:
Alívio de desconfortos e tensões: adicione 5 gotas de OE de pimenta preta diluído em 10ml de óleo vegetal e aplique na base do occipital, nas têmporas e no local afetado e friccione;
Para aquecer extremidades frias: pingue 3 gotas de OE de pimenta preta e 1 gota de óleo vegetal na planta dos pés e friccione-as;
Para apoiar a circulação: adicione 5 gotas de OE de pimenta preta, 4 gotas de OE de cipreste, 3 gotas de OE de grapefruit em uma colher de sopa de sal grosso e dilua em um balde com água quente. Deixe seus pés repousarem dentro do balde por 10 minutos;
Para estimular a saciedade: adicione 3 gotas de OE de pimenta preta, 2 gotas de OE de patchouli e 5ml de óleo vegetal na palma das mãos, friccione e inspire profundamente;
Sugestão ayurvédica do Dr. Miller para acalmar tensão muscular e articular: adicione 10 gotas de OE de pimenta preta, 10 gotas de OE de lavanda francesa, 5 gotas de OE de olíbano, 5 gotas de OE de bétula doce em 50ml de óleo de gergelim e massageie as áreas afetadas;
Fraqueza geral e falta de disposição: dilua 5 gotas de OE de pimenta preta em 5ml de óleo vegetal, aplique na coluna vertebral e friccione;
Fricção vitalizante: adicione 3 gotas de OE de pimenta preta e 1 gota de OV na planta dos pés e friccione;
Para aliviar a sensação de digestão lenta e gases: adicione 5 gotas de OE de pimenta preta em 10ml de OV e aplique no abdômen. Massageie com movimentos suaves e circulares no sentido horário;
Óleo de massagem para aliviar músculos e articulações: adicione 35 gotas de OE de pimenta preta, 15 gotas de OE de alecrim qt. cânfora, 10 gotas de OE de bétula doce a 120ml de OV de semente de uva e use a quantidade necessária para massagear as áreas doloridas;
Para apoiar a tomada de decisão: pingue 2 gotas de OE de pimenta preta no colar aromático individual e use ao longo do dia;
Para fortalecer o couro cabeludo e os cabelos: adicione 2 gotas de OE de pimenta preta, 1 gotas de OE de sálvia sclarea, 1 gotas de OE de alecrim qt. cineol, 1 gota de OE de lavanda francesa em 10ml de OV e friccione o couro cabeludo. Deixe descansar por 10 minutos e lave os cabelos em seguida.

Vishwa Schoppan
Bióloga, Ecóloga, Aromaterapeuta.

Referências:
1. Ashokkmar, Kaliyaperumal et al. Fitoquímica e potencial terapêutico do óleo essencial de pimenta-do-reino [Piper nigrum (L.)] e piperina: Uma revisão. Fitociência Clínica, v. 7, n. 1, p. 1-11, 2021. Disponível em: https://clinphytoscience.springeropen.com/articles/10.1186/s40816-021-00292-2
2. Baudoux, D. Grande manual de aromaterapia de Dominique Baudoux – Belo Horizonte: Editora Laszlo, 2018. 673 p.

Legenda das Formas de Uso:

OE = óleo essencial
OV = óleo vegetal
CS = colher de sopa

ADVERTÊNCIA: teste o OE sempre que estiver sendo usado pela primeira vez. Para isso, pingue 2 gotas de OE nas axilas, na parte interna do cotovelo e atrás da orelha. Espere por 12hs e observe. Caso apresente alguma reação alérgica, não recomendamos o uso deste OE. Realize este teste mesmo se o OE estiver diluído a um veículo carreador.

A quantidade de gotas de OE sugeridas dependerá da intensidade do aroma do OE escolhido. Alguns OE possuem aroma mais intenso, utilize quantidades menores. Use sempre diluições mínimas em crianças, idosos e gestantes.

AAromatização Ambiental: Pingue mais ou menos 12 gotas de OE na água do difusor ambiental. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma.

BBanho de Imersão (banheira ou ofurô): Para aromatizar a água do banho, dissolva de 7 até 21 gotas de OE em 3 CS de leite de côco. Adicione mais ou menos gotas de acordo com a intensidade do aroma. Dissolva a mistura na banheira ou ofurô. Nunca use OE diretamente na banheira sem diluição em veículo carreador.

BABanho de Assento: Dilua 10 gotas de OE em 5 CS de leite de côco e adicione à água fria do banho de assento.

CCompressa local com água ou argila: Pingue de 5 até 10 gotas de OE em 1 CS de OV e dissolva na água fria ou quente. Use uma toalha para fazer a compressa. Na argila, pingue 3 gotas de OE para 1 CS de argila, adicione água ou água floral até formar uma pasta consistente. Use quantas CS de argila forem necessárias para formar uma pasta que cubra toda a área a receber a compressa.

CAColar Aromático: Pingue 3 gotas de OE no algodão e acomode-o no orifício do colar. Adicione mais gotas toda vez que o aroma acabar.

EPEscalda Pés: Dilua 15 gotas de OE ou sinergia em uma colher de OV e coloque numa balde ou ofurô de pés.

FLFricção Local: Dilua de 3 até 5 gotas de OE em 1 CS de OV e fricione a área afetada.

MMassagem: Adicione de 50 a 70 gotas de OE em 120ml de OV e utilize-o na massagem.

SSpray: Adicione 40 gotas de OE de sua preferência em uma solução de 60ml de álcool de cereais e 40ml de água deionizada. Use com um frasco spray.

TUso Tópico: Pingue 5 gotas de OE diluídas em 1 CS de OV de pracaxi, andiroba, rosa mosqueta ou outro OV indicado.